logo

Copyright ©2019 REDLARA

Registro

REDLARA: Registros Anuais

Introdução.  Apresentamos a vigésima quinta edição do Registro Latinoamericano de Reproducción Asistida (RLA). Esta edição relata os ciclos realizados por 158 centros em quatorze países, e corresponde à quarta versão de registro de informação individual. 

Métodos: Todos os centros enviaram eletronicamente a informação de ciclos de reprodução assistida iniciados no ano 2013; os dados foram incorporados à base de dados do RLA após confirmada sua consistência interna.  Assim, um total de 54,456 procedimentos foram incluídos, que correspondem a 36,494 ciclos homólogos; 10,912 ciclos de FET autólogo; 5,927 ciclos de doação de óvulos;  2,507 de FET com embriões produto de doação de óvulos; e 1,616 ciclos de preservação de fertilidade. 

Resultados: Quarenta por cento dos ciclos iniciados de FIV/ICSI foram realizados em mulheres entre 35 e 39 anos; e 31% foram realizados em mulheres de 40 anos ou mais. As taxas de parto por aspiração em ciclos de ICSI e FIV foram de 20.6% e 25.4%, respectivamente; a frequência de parto múltiplo foi de 21.8% (20.7% gêmeos e 1.1% trigêmeos ou mais). Quando se transferiu mais de dois embriões, não houve um aumento significativo na taxa de parto nem na frequência de parto gemelar dupla. Entretanto, a proporção de parto triplo aumentou significativamente quando foram transferidos três ou mais embriões. Em ciclos com OD, a frequência de parto duplo e triplo foi de 30.0%  e 1.4%, respectivamente. Em ciclos de FET, a frequência de parto duplo e triplo foi de 18.7% e 1.0%, respectivamente. Os partos múltiplos se associaram a um aumento significativo na prematuridade e mortalidade perinatal.  Aumentou de 28 por 1,000 recém nascidos vivos em partos únicos, a 40 em partos duplos, e a 72 em partos triplos ou maiores.  Em ciclos de IVF/ICSI, a frequência de transferência seletiva de um embrião chegou a 2.0%, e a de dois embriões chegou a 23.2%. A taxa de parto ao transferir seletivamente um embrião foi 30.1%, e ao transferir dois embriões, 41.6%. Em mulheres com 34 anos ou menos, estas taxas foram de 39.1% e 47.8%, respectivamente.

Conclusões: Novamente, encontramos que as taxas de parto relatadas são comparáveis às publicadas por países da Europa. Entretanto, a frequência de parto duplo e triplo ou maior se mantém alta. Para reduzir a frequência de complicações perinatais decorrentes da gestação múltipla, é importante esforçar-se por restringir as transferências embrionárias a um ou dois embriões.

Clique aqui para obter o documento completo.

Tudo sobre registro.

Registros anuais.

  • 2014 - (impresso)
  • 2013 - (impresso)
  • 2012 - (impresso)
  • 2011 - (PDF & impresso)
  • 2010 - (PDF & impresso)
  • 2009 - (PDF)
  • 2008 - (PDF & impresso)
  • 2007 - (PDF & impresso)
  • 2006 - (PDF & impresso)
  • 2005 - (PDF & impresso)
  • 2004 - (PDF & impresso)
  • 2003 - (PDF)
  • 2002 - (PDF & impresso)
  • 2001 - (PDF & impresso)
  • 2000 - (PDF & impresso)
  • 1999 - (PDF & impresso)
  • 1998 - (impresso)
  • 1997 - (impresso)
  • 1996 - (impresso)
  • 1995 - (impresso)
  • 1994 - (impresso)
  • 1993 - (impresso)
  • 1992 - (impresso)
  • 1991 - (impresso)
  • 1990 - (impresso)

Tem alguma dúvida?

Estamos a sua disposição.

U9TT