blogado
  Você fez, leu, pensa em fazer... já está BLOGADO.
blogado Ribeirão Preto Dicas, Notícias e Muito mais...
 
 Nos 159 anos de Ribeirão governo Dárcy é alvo de protesto na Prefeitura
Mulher fantasiada lavou escadaria de prédio e lembrou polêmica do IPM.
Ruas esburacadas, IPTU e conta d'água também marcaram reclamações.

Excesso de buracos nas ruas, altas em IPTU e água, obras polêmicas, irregularidades fiscais e impasses ambientais foram algumas das reclamações que levaram manifestantes à Prefeitura de Ribeirão Preto (SP) nesta sexta-feira (19), dia em que a cidade celebra 159 anos de fundação.

Para o grupo de aproximadamente 40 pessoas, a data não é motivo de comemoração. Contra problemas que marcam a gestão da prefeita Dárcy Vera (PSD), por volta das 10h elas se concentraram com apitos e faixas em frente ao Palácio Rio Branco, onde permaneceram por uma hora antes de também protestarem em frente à Catedral Metropolitana de São Sebastião, na Praça das Bandeiras.

Acompanhado pela Polícia Militar e pela Guarda Civil Municipal, o protesto terminou sem tumulto.

Fantasiada, uma das manifestantes lavou as escadarias da sede do Executivo e leu uma lista com o que ela intitulou de "Os 10 Mandamentos de Dárcy".

A relação inclui polêmicas como a transferência - considerada irregular pela União - de recursos de aposentadoria do Instituto de Previdência dos Municipiários (IPM), crise financeira na Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto e o impasse em torno das obras de estações ao lado da Catedral.

“Aniversário, mas vamos comemorar o quê? Fizemos esse protesto para alertar o cidadão de Ribeirão Preto e para manifestar contra essa administração que abandonou a cidade”, disse Fernando Berani, de 27 anos, estudante e membro do grupo organizador do protesto.

A aposentada Sandra Maria Vilela, de 62 anos, reclamou da falta de atenção ao Aquífero Guarani - fonte de abastecimento da cidade -, dos buracos nas ruas e do transporte público.
“O vazamento de água do aquífero Guarani é um absurdo, fora os buracos, a parte de transporte público. Ela [Dárcy Vera] enganou o povo com a base aliada [de vereadores]. Por isso estou protestando. Nunca vi uma cidade tão abandonada”, afirmou.

Acompanhada do pai Alaor Sareta, Constanzia Antônia, de apenas 9 anos, também fez seu apelo. “Estou aqui pra gente conhecer quem é a mulher que destruiu a nossa cidade. Precisa melhorar tudo, até a prefeita”, reclamou a menina.
A expectativa dos organizadores era contar com quatro mil pessoas. A baixa adesão, no entanto, não desanimou o grupo.
“Esperávamos mais pessoas, mas nosso objetivo foi cumprido. Nossa intenção era chamar a atenção da população para os atos da prefeita e nossa luta vai continuar”, afirmou Berani.
 
 
 Câmara de Ribeirão aprova crédito para Prefeitura pagar dívida com IPM
Projeto autoriza Executivo a remanejar R$ 68 milhões do orçamento.
Débito levou município a perder certificado e direito a repasses federais.

A Câmara aprovou um projeto que autoriza a Prefeitura de Ribeirão Preto (SP) a abrir crédito especial de R$ 68 milhões a serem usados no pagamento de uma dívida com o Instituto de Previdência dos Municipiários (IPM). O texto foi aprovado por 15 dos 22 vereadores na sessão de terça-feira (16) depois de gerar impasse entre parlamentares.

O pagamento faz parte de um acordo judicial firmado para a cidade reaver o Certificado de Regularização Previdenciária (CRP) e, consequentemente, não ficar impedida de receber verbas federais.
Essa foi a saída encontrada depois que o Ministério da Previdência Social considerou irregulares repasses que em 2013 totalizavam R$ 49,7 milhões do fundo de aposentadoria e de pensões para os cofres da administração. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) também criticou as transferências.
Embora não houvesse previsão orçamentária aprovada, a Prefeitura já havia quitado ao menos duas das sete parcelas prometidas antes da discussão na Câmara.

O projeto prevê que o montante milionário seja incluído na dotação de indenizações e restituições por meio da "anulação parcial de dotações que compõem o grupo de despesas discricionárias e pelo excesso de arrecadação a se verificar no corrente exercício."
Também estabelece que o crédito de R$ 68 milhões está sujeito a correção inflacionária e juro de 1% ao mês.

Antes de ser aprovado, o projeto chegou a ser encaminhado para votação no dia 2 deste mês, mas foi retirado de última hora da pauta por falta de parecer da Comissão de Legislação, Justiça e Redação, dividida em relação ao tema. No mesmo dia, a OAB alegou que a prefeita Dárcy Vera (PSD) pode ter cometido ato de improbidade administrativa na transação que gerou o débito com o IPM.

Para parte dos vereadores, aprovar o crédito é apoiar um erro cometido pela Prefeitura. Marcos Papa alegou que o texto não explica de onde os recursos para pagamento da dívida serão retirados. "A Prefeitura é ré confessa nesse caso."

Por outro lado, o vereador Beto Cangussu (PT) argumentou que recusar o projeto seria penalizar a cidade - impedida de receber repasses - e não a Prefeitura. "Nós devemos criar obstáculo à governabilidade do município simplesmente por uma questão político-partidária? Se não aprovarmos o projeto não estamos penalizando a prefeita, estamos penalizando o município de Ribeirão Preto, que ficará inadimplente perante o acordo judicial", disse.
 
 
 Vereadores criam fundo para pagar dívida ativa da prefeitura em Ribeirão Preto
A sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Ribeirão Preto, realizada nessa terça-feira (23), teve ampla discussão sobre a aprovação do projeto que cria o Fundo Especial de Créditos Inadimplidos e Dívida Ativa (FECIDAT).

O objetivo desse fundo será o de contribuir para o aumento da arrecadação dos recursos financeiros das administrações direta e indireta e terá como principal função o pagamento da dívida ativa do Município, estimada em R$ 900 milhões, e do Daerp, estimada em R$ 200 milhões.

Após demorada análise e aprovação, um conselho também foi criado para acompanhar os trabalhos do Fundo. A sessão chegou a ser encerrada pouco antes da meia-noite, mas antes deu tempo para aprovar o projeto que acrescenta o Inciso XIV ao artigo 239, da Lei nº 3181/1976 (Estatuto dos Funcionários Municipais de Ribeirão Preto) vedando a análise e/ou aprovação de projeto, memoriais descritivos, laudos e outros documentos que o funcionário seja autor, bem como fiscalização de obra da qual participou direta ou indiretamente. A proposta atende a recomendação do Ministério Público do Estado de São Paulo.
 
 
 Prefeitura de Ribeirão privatiza parque da zona Sul
RibeirãoShopping assumiu a administração do Parque Nova Aliança e vai investir R$ 2 milhões na revitalização do espaço.

Foi dada a largada à “privatização” dos parques de Ribeirão Preto. A Prefeitura Municipal entregou a administração do Parque Nova Aliança, na zona Sul, ao RibeirãoShopping e, conforme apurou o A Cidade, pretende transferir, em breve, a manutenção de outros parques para construtoras.

O Parque Nova Aliança possui 75 mil metros quadrados de área verde, três lagos e diversas árvores. Em contrapartida, não há bancos, banheiros nem caminhos de cimento para as pessoas caminharem.

Provavelmente por isso não havia ninguém no parque por volta das 15h desta quinta-feira (18). O local, que era para ser uma opção de lazer para os moradores dos bairros próximos, dos frequentadores do shopping e dos próprios funcionários do centro de compras, virou um depósito de garrafas, marmitex, sacos plásticos e outras embalagens.

Até o Natal, no entanto, o cenário de abandono será transformado em um parque com três entradas, quatro praças, 50 mil metros de grama, além de bancos, pontes, bebedouros, banheiros e iluminação LED branca.

“Será uma área de lazer completa com infraestrutura de primeiro mundo”, comentou a prefeita Dárcy Vera, durante a apresentação do projeto na manhã desta quinta. Apenas a segurança do local ficará a cargo da prefeitura.

O arquiteto e urbanista Eduardo Salata, responsável pelo projeto, destacou que os bancos e as pontes serão ecológicos. “Eles vão ser construídos com um plástico reciclável que imita madeira e que é mais resistente, de alta durabilidade”, observou.

Investimento

O parque também terá uma pista de corrida de 1.600 metros de extensão – a maior da cidade –, um pergolado e sibipirunas, palmeiras, ipês, primaveras, azaleias, jasmins e lobelias por todo lado. O investimento total será de R$ 2 milhões.

“Hoje, as pessoas transitam por fora do parque. Com as praças, elas terão lugares para descansar e ler. O objetivo é criar um ponto de convivência”, ressaltou Salata.

O superintendente do RibeirãoShopping, Felix Diez, não soube informar a previsão de gastos mensais com a manutenção do parque nem o mês exato em que o projeto será finalizado. “Atualmente é uma área degradada e mal frequentada. O shopping se beneficia com a revitalização tendo uma área bonita ao seu lado.”

A revitalização foi anunciada nesta quinta em uma reunião com representantes da Multiplan, administradora do shopping, e secretários municipais no Palácio Rio Branco, sede do governo.

A prefeita disse que pediu para a empresa adotar o parque para deixar o lugar mais confortável para a população. “Por mais que a gente cuide, é difícil fazer a manutenção devido à amplitude do parque”, afirmou.

Vizinhos aprovam iniciativa

Os moradores e trabalhadores dos bairros vizinhos aprovam a transferência da administração do parque para o RibeirãoShopping, porque acreditam que o espaço será melhor cuidado. Pessoas ouvidas pelo A Cidade disseram que faltam segurança, iluminação e limpeza.

“Trabalho em um prédio na frente do parque e não vejo as mães desceram com as crianças. Durante o dia fica vazio e, à noite, enche de gente mal intencionada”, afirma a doméstica Eliane Ribeiro, 42 anos.

O vigilante Anderson Santos, 26 anos, acredita que a revitalização do parque vai inibir a ação de ladrões na região. “À noite é muito escuro, então costuma ter bastante roubo de carro”, observa.
 
 
 Prefeitura adia pagamento de Décimo Terceiro Salário e surpreende servidores em Ribeirão
Medida afeta 5,4 mil funcionários da administração direta, segundo sindicato.

Pagamento a fornecedores e crise econômica são alegadas pela Prefeitura.

A professora Cristiane Gonçalves Francisco, funcionária da rede municipal de Ribeirão Preto (SP), optou por receber a primeira parcela do 13º salário nesta terça-feira (30) e assumiu compromissos financeiros contando com o depósito. Mas um anúncio da Prefeitura na última sexta-feira (26), suspendendo o beneficio, pegou a servidora de surpresa.
“Vou ter que elencar algumas prioridades. Isso implica que a gente acaba tendo que frustrar nossos filhos, que estão esperando um passeio no recesso”, reclama.

Ela é um dos 60% dos 9 mil funcionários públicos da administração direta – algo em torno de 5,4 mil, nas contas do Sindicato dos Servidores Municipais - que aderiram ao benefício concedido anualmente pela Prefeitura de maneira facultativa, mas souberam de última hora que não receberão o adiantamento de 50%.
Sem adiantamento
Em comunicado, o secretário municipal da Fazenda, Francisco Sérgio Nalini, informou que, em função da instabilidade econômica, de acordos jurídicos, do pagamento de empresas para manter os serviços públicos e de uma arrecadação que não acompanha o mesmo ritmo das demandas, a Prefeitura ficou "impossibilitada" de adiantar a primeira parcela do 13º salário aos servidores.
"Este benefício pôde ser proporcionado em momentos anteriores desta administração e em outros contextos econômicos nacionais. As medidas tomadas pela Prefeitura a fim de quitar suas dívidas têm como objetivo, também, restabelecer o adiantamento já no ano que vem", comunicou.

Entretanto, segundo o sindicato, a medida afeta somente funcionários da administração direta, ou seja, profissionais como enfermeiros, técnicos, professores, engenheiros, auxiliares, entre outros.
De acordo com a entidade que representa a categoria, a decisão não é válida para autarquias, empresas e fundações, como o Departamento de Água e Esgoto de Ribeirão Preto (Daerp) e Transerp - empresa que gerencia o transporte local.
'Descontentamento'
Segundo o vice-presidente do sindicato, Laerte Carlos Augusto, parte dos servidores depende do adiantamento para cumprir compromissos como quitação de empréstimos e pagamento de contas.
"O descontentamento é muito grande. Os trabalhadores têm nos procurado aqui na sede do sindicato e nos locais de trabalho. Se o governo não reverter essa situação e passar um novo comunicado cumprindo com aquilo que foi acordado com os trabalhadores, com certeza isso vai ter uma consequência muito grave, porque as pessoas assumiram seus compromissos contando com essa antecipação e acabam sendo pegas de surpresa. Isso é inconcebível", afirmou o
Funcionária municipal há 23 anos, Cláudia Torres a suspensão adotada pela Prefeitura deixa dúvidas sobre a saúde financeira do município. "Se agora que estamos no auge da arrecadação [de tributos] não vão nos pagar, como será no fim do ano? De onde vão tirar essa verba?", questionou.
O sindicato informou que, apesar de tentativas, não houve nenhum contato oficial da Prefeitura após o anúncio. A entidade comunicou que deve convocar uma assembleia geral com os servidores caso a administração municipal não volte atrás.
"Se isso não acontecer vamos chamar uma assembleia aqui no sindicato e discutir esse assunto com os trabalhadores, porque os trabalhadores querem uma posição oficial."
 
 
 Beneficência Portuguesa cobra dívida da Prefeitura e paralisa atividades em Ribeirão Preto
O hospital Beneficência Portuguesa paralisou, nessa segunda-feira (29), alguns atendimentos, como consultas, exames e cirurgias eletivas aos pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde), após a Prefeitura não pagar a dívida de R$ 1,5 milhão.

Uma reunião foi realizada entre a Secretaria de Saúde, Ministério Público, Santa Casa – que também cobra uma dívida no valor de R$ 1 milhão – e a Beneficência, mas nenhuma proposta foi levantada. Ao todo, 150 pessoas ficaram sem algum tipo de atendimento somente nessa segunda-feira.

Uma nova reunião foi agendada para esta terça-feira (30), mas desta vez entre o Ministério Público com as secretarias da Fazenda e de Governo.

Fonte: Ribeirão Preto Online
 
 
 Faculdade da USP Ribeirão Preto contrata professor para Departamento de Administração
Até a próxima terça-feira (7) estarão abertas as inscrições do processo seletivo simplificado para contratação de um professor por tempo determinado para o Departamento de Administração da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA-RP) da USP.

As inscrições devem ser feitas das 14h às 18h, na Seção de Apoio Acadêmico da Faculdade (Sala 40, Bloco B2, Avenida Bandeirantes, nº 3.900).

A vigência do contrato irá até 31 de dezembro de 2015. O salário é de R$ 1.741,99 em 12 horas de jornada semanal de trabalho. A seleção será em uma única fase composta por prova escrita (peso 4) e prova didática (peso 6).

O candidato selecionado irá ministrar as disciplinas Comportamento Organizacional; Administração de Recursos Humanos I; Introdução à Sociologia; Trabalho e Subjetividade na Organização.

Mais informações estão disponíveis no edital: http://app.fearp.usp.br/concursos/concursos/docentes/docs/023-2015/Edital_023_2015_RAD_PS_P.pdf e também no site www.fearp.usp.br na aba "Concursos" localizada na parte inferior da página.

O telefone para contato é: (16) 3315-4331.
 
 
 Vereadores aprovam projeto que proíbe abandono de animais domésticos nas ruas de Ribeirão Preto.
A sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Ribeirão Preto, realizada nessa quinta-feira (2), começou com o acolhimento do veto total ao projeto que fala sobre os parâmetros nutricionais máximos dos alimentos fornecidos em estabelecimentos que sirvam refeições rápidas, conhecidos como fast food.

Depois, os parlamentares aprovaram o projeto que autoriza a instituição do Fundo Municipal do Turismo (FMT). Em seguida, foi aprovada a redação final do projeto que institui a "Câmara da Melhor Idade" no ambiente da Câmara Municipal.

Logo após, foi aprovado o projeto que fala sobre a proibição de abandono de animais domésticos ou domesticados em logradouros públicos ou áreas particulares. Adiante, foi aprovado o projeto que institui o programa de Zonas Verdes, destinado à extensão temporária de passeio público por meio da instalação de parklets.

Por fim, mais duas denominações de logradouros públicos ou próprios municipais, as famosas homenagens foram aprovadas em nomes de "Professor Hermógenes” e "Luiz Carlos Bianchi”.
 
 
 Conta de água ficará mais cara em Ribeirão Preto, diz Daerp
Nova tarifa deverá entrar em vigor 30 dias após publicação de decreto. 
Autarquia considerou alta na energia elétrica para justificar reajuste.

O Departamento de Água e Esgoto de Ribeirão Preto (Daerp) informou que a tarifa de água na cidade sofrerá reajuste de 20,52% nos próximos meses. O anúncio do aumento foi feito em nota assinada pelo superintendente Marco Antônio dos Santos.

A nova tarifa deverá entrar em vigor 30 dias após a publicação do decreto em Diário Oficial, nos próximos dias.

No texto, divulgado na sexta-feira (26), o departamento informou que a alta na conta de água em Ribeirão Preto (SP) leva em consideração os reajustes na tarifa de energia elétrica e no salário dos servidores, além da inflação.

“Em função do reajuste da tarifa de energia elétrica, que de janeiro até junho ficou em 52,47%, junto com o reajuste dos servidores de 6,23% e a inflação, que  este ano ficou em 7,68%, até junho, o Daerp está reajustando a tarifa de água em 20,52%”, explicou a autarquia na nota.

O departamento afirmou que o custo da energia elétrica, por exemplo, corresponde a 33% de todos os custos operacionais da autarquia. Segundo o texto, o novo índice da tarifa é necessário para cobrir os gastos da autarquia.

O Daerp também justificou a alta ao comparar a nova tarifa com os valores cobrados por outras empresas de abastecimento em São Paulo (Sabesp) e em Campinas (Sanasa). Segundo o departamento de Ribeirão a tarifa residencial em Ribeirão passará para R$ 17,96, enquanto nas duas cidades o valor é de R$ 37,19 e R$ 50, 23, respectivamente.
 
 
 Pedágios da região de Ribeirão Preto sofrem reajuste
Tarifa mais alta será a da praça de Guatapará (SP): R$ 12,60. 
Reajuste médio será de 5,32%, a partir desta quarta-feira (1º).

As praças de pedágio de rodovias paulistas sofrerão reajuste médio de 5,32% a partir desta quarta-feira (1º), segundo a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp). Na região de Ribeirão Preto (SP), a maior alta será nas praças de Guatapará, Ituverava e Jaboticabal (SP), onde os preços terão reajuste de R$ 0,50.

A praça de Guatapará, na Rodovia Antônio Machado Sant'Anna, cobrará o pedágio mais caro da região, que ficará com o valor de R$12,60 após o reajuste. Quando foi inaugurado, em 1999, o valor cobrado no pedágio era de R$ 2,90.
Na Rodovia Orlando Chesini Ometto, em Monte Alto, será cobrado o valor mais baixo da região: R$ 5. O pedágio foi inaugurado em 1998 e a tarifa cobrada na época era de R$ 1,40.
 
 
 Festival Tanabata resgata a cultura oriental em Ribeirão
Com 100 atrações, Festival Tanabata resgata a cultura oriental em Ribeirão

Evento acontece entre sexta-feira (3) e domingo (5) no Morro do São Bento.
Programação conta com concurso de cosplay, oficina de origami, entre outros.

O Parque Morro do São Bento, em Ribeirão Preto (SP), recebe neste final de semana a 22ª edição do Festival Tanabata, com mais de 100 atrações culturais japonesas, entre elas shows de dança, música, feira de artesanato e culinária. O evento acontece na sexta-feira (3), das 19h às 23h, e também no sábado (4) e domingo (5), das 10h às 23h.

A programação completa conta com apresentações de karaokê e taikô, desfiles e concursos de cosplay, oficinas de origami, exposição de objetos de decoração e feira de produtos japoneses importados. Os visitantes também podem apreciar pratos típicos como shushis, sashimis, temakis e yakissoba.

Aos apreciadores de origami - dobradura em papel - haverá exposição com cerca de 30 peças em diversos tamanhos. Já os fãs de mangá - histórias em quadrinhos japoneses - vão curtir e até participar de um concurso de cosplay, se caracterizando como os personagens de filmes e desenhos.
Grupos de música e de artes marciais da região de Ribeirão também se apresentam no palco principal e no palco Seinen Kai. As apresentação acontecem a todo momento - a entrada no festival é gratuita.


Comemoração
Também conhecido como o "Festa das Estrelas", o Tanabata é comemorado no oriente em 7 de julho, em menção a uma lenda chinesa que existe há quase 2 mil anos: um príncipe e uma princesa que viviam na Via Láctea se apaixonaram um pelo outro, mas foram separados por um rei, que os colocou em lados opostos no céu. Os dois só tinham permissão de se encontrar uma vez por ano, data em que é realizado o Tanabata.
Durante o festival, os visitantes também têm o hábito de escrever desejos em um pedaço de papel colorido, chamado de tanzaku, que depois são pendurados em ramos de bambu, colocados na entrada do Parque. Ao final do evento, os papéis são queimados. Segundo a lenda, a fumaça leva os pedidos até o céu, para que o príncipe e a princesa os realizem.
Serviço - 22º Festival Tanabata
Quando: 3, 4 e 5 de julho de 2015
Local:  Parque Morro do São Bento - Avenida Capitão Salomão
Entrada: Gratuita
 
 
 Calçadão é uma corrida de obstáculos no Centro de Ribeirão Preto
Idosa de 83 anos está entre os pedestres que tropeçaram na rua General Osório; hoje, de bengala, ela teme nova queda.

Caixas de energia elétrica, de esgoto e de água, pedaços de madeira, buracos recém-abertos e outros mal tapados por madeirite estão entre os obstáculos para quem caminha pelas obras do Calçadão.

A lista de barreiras vai além: pilhas de pisos a serem colocados, montes de entulho, betoneira, entre outras ferramentas usadas pelos operários. Com tantas obstruções, um simples passeio pelo espaço tem se transformado numa arriscada aventura.

“Se estivesse tudo plano, ficaria tudo pronto na hora. Até a gente vai olhando para as lojas e esquece os obstáculos”, diz um funcionário da obra, que preferiu não se identificar.

Somente na quadra da rua General Osório entre a Amador Bueno e a Saldanha Marinho, o A Cidade contabilizou, ontem pela manhã, mais de 70 obstáculos.

Além das caixas de inspeção aparentes e das proteções de madeira, há os buracos rasos abertos recentemente. Essas aberturas no novo piso darão lugar a postes de iluminação pública, árvores ou sombreiros.

“Aqui está muito perigoso, principalmente para quem tem dificuldade de locomoção. A obra demora muito e acho que teria um jeito de trocar o piso e já nivelar de uma só vez”, diz a aposentada Gasparina Almeida, 83 anos.

A idosa está entre as vítimas das obras do Calçadão. No ano passado, em frente ao supermercado na General Osório, Gasparina tropeçou em uma das caixas que ficaram acima do nível do piso, caiu e raspou o joelho.

“Ainda bem que veio gente me ajudar, senão não conseguiria levantar”, diz Gasparina. Ontem, de bengala, a idosa olhava fixamente o chão para evitar uma nova queda na rua General Osório, desta vez entre a Amador e a Saldanha.

A aposentada Mara dos Santos Lima, 75, não passeia mais com o marido cadeirante no Centro por causa das obras do Calçadão. “Eu mesma já tropecei umas quatro vezes, e passar com a cadeira de rodas aqui é impossível. Essas obras não tiveram planejamento. Faz mais de três anos e ainda não terminaram”, reclama.

A cozinheira Andréia Rissas, 35, não desgrudava do filho Gabriel, 6 anos, com medo de que ele corresse e sofresse algum acidente. Ambos se equilibravam ontem sobre a madeira esparramada no solo para evitar qualquer queda. “Ele pode querer sair correndo, escorregar e quebrar o braço. Já escorreguei aqui na areia em um dia que estava chovendo”, concluiu.

Prefeitura cita imprevistos

A prefeitura informa em nota que, “por ser uma obra a céu aberto, ao contrário de qualquer outra obra onde há isolamento com tapumes e não há circulação de pessoas, existem os imprevistos que são solucionados no decorrer da obra”, mas não explicou quais.

“Primeiro é colocado o contrapiso de concreto e ferro armado. Depois, é colocado o piso e feito o nivelamento simultâneo, com a colocação de tampas provisórias de madeira, que já estão sendo substituídas por tampas de ferro”.

Mais de 60% da obra foi concluída. Neste momento, duas  equipes trabalham simultaneamente: uma finaliza o assentamento das caixas e dos pisos no trecho entre as ruas Amador e Saldanha, e a outra conclui a infraestrutura e o contrapiso no trecho entre a Saldanha e a Amador.

Também foi iniciada a instalação dos postes de energia e posteriormente será instalado o mobiliário urbano.

O Calçadão vai receber 88 postes com luminárias e lâmpadas de led, 149 bancos, 90 lixeiras com separação para recicláveis, 17 cinzeiros e 48 sombreiros, além de paisagismo. A prefeitura diz que a entrega está prevista para até o final do ano – três anos depois da previsão original, dezembro de 2012.
 
 
 Ribeirão Preto ganha sistema VIP de viagem terrestre
O transporte diferenciado começa com a espera em uma sala confortável, localizada na sede da empresa, na Avenida Independência.

Como aéreo
De olho no público que busca conforto no trajeto aéreo até São Paulo, Ribeirão Preto acaba de ganhar um sistema VIP de viagem terrestre. O transporte diferenciado começa com a espera em uma sala confortável, localizada na sede da empresa, na Avenida Independência. E não é só isso. A viagem é associada à primeira classe de um avião por conta do ônibus Double Deck ter poltronas-leito e leito-cama, TVs de LCD individuais e wi-fi para entretenimento.

Serviço de bordo
Para o transporte ficar completo, tem também um serviço de bordo com comissárias treinadas, que servem lanche, água, suco e refrigerantes. A Levare vem investindo nesse tipo de transporte terrestre de luxo em São Paulo, São José do Rio Preto, Londrina e Maringá (Paraná). Em Ribeirão, as atividades tiveram início esta semana, com opções de três horários em três dias.

Alta demanda
Esse tipo de transporte VIP vem crescendo. Desde 2010, quando abriu a primeira unidade em Rio Preto, a Levare atua com cinco horários diariamente – tem dia em que todos os horários chegam a ter lotação máxima. Para atrair passageiros, a empresa pratica um preço bem mais em conta que o do transporte aéreo.
 
 
 Servidores de Ribeirão Preto fazem protesto por 1ª parcela do 13º salário
Cerca de 50 funcionários pararam nesta 5ª feira reclamando adiantamento.
Prefeitura diz que benefício será pago em 20 de novembro, como prevê lei.

Cerca de 50 servidores do Departamento de Infraestrutura de Ribeirão Preto (SP) fizeram uma paralisação por três horas na manhã desta quinta-feira (2), reivindicando o pagamento da primeira parcela do 13º salário, que havia sido prometido pela prefeita Dárcy Vera (PSD).
Os funcionários também reclamam que os valores referentes a 1/3 de férias e aos dias vendidos à Prefeitura também não foram depositados, conforme acordado.
Em nota, a administração municipal reconhece o atraso e informa que está trabalhando para quitar os débitos "o mais breve possível." Ainda de acordo com o governo, o adiantamento do 13º será feito em 20 de novembro, conforme previsto na lei n.º 4.749/1965.
O protesto nesta quinta-feira é o segundo realizado pela categoria. Na manhã de quarta-feira (1º), o mesmo grupo já havia cruzado os braços por duas horas, no Departamento de Obras, pelo mesmo motivo.

O presidente do Sindicato dos Servidores, Wagner Rodrigues, explica que a Prefeitura divulgou um comunicado permitindo à categoria optar por receber a primeira parcela do 13º salário em junho ou novembro. Cerca de 80% dos servidores, segundo Rodrigues, pediram o adiantamento, que deveria ter sido depositado em 30 de junho.

"Estamos fazendo pressão para que o governo mude o calendário, ou seja, pague primeiro os trabalhadores. Como um governo que não tem dinheiro oferece um requerimento para que todos pudessem optar pelo recebimento do 13º [salário] já no mês de junho?”, questiona.

Ainda de acordo com Rodrigues, uma assembléia no fim da tarde desta quinta-feira deve decidir se os servidores realizarão uma paralisação em todos os departamentos da Prefeitura na próxima segunda-feira (6). “Também vamos ingressar nesta sexta-feira com uma medida no Ministério Público. Não dá para trabalhar se não recebe”, disse.
 
 
 Exposição reúne apaixonados por motos em Ribeirão Preto, SP
Mostra reúne motocicletas fabricadas desde a década de 1960. 
Evento no Shopping Iguatemi vai até 17 de julho; entrada é gratuita.

Ribeirão Preto (SP) recebe até o dia 17 de julho a 5ª edição da Exposição de Motos Antigas RP Moto Festival. O evento acontece no Shopping Iguatemi e a entrada é gratuita.

A exposição conta com motos que marcaram época, desde a década de 1960. Entre elas estão modelos Honda, Yamaha e o exclusivo estilo de moto Café Racer, desenvolvido para corridas de curto percurso. Na década de 1970, os jovens ingleses conhecidos como Rocker’s, utilizavam o veículo para  apostar corrida entre os cafés da cidade.

"Essas motos são modelos customizados de 400 a 500 cilindradas.  Elas são no estilo Café Racer. São motos que, na Inglaterra, eles faziam corridas de um café até outro. Eles customizavam as motos para que elas ficassem mais velozes e também para manter uma estética mais bonita", diz o organizador Amaury Martins Junior.

Além das motos, o público também pode ver trajes e figurinos usados pelos motociclistas da época.
A exposição faz parte do evento RP Moto Festival, que acontecerá nos dias 18 e 19 de julho, no campus do Centro Universitário Moura Lacerda, em Ribeirão Preto.
“Devemos reunir participantes de diversos motoclubes da cidade e da região. Serão dois dias de muita música e confraternização”, afirma Martins.

A entrada para a exposição é gratuita. Ela está montada no piso superior do Shopping Iguatemi. A visitação acontece de segunda a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos e feriados, das 14h às 20h.

Serviço
Exposição de motos antigas RP Moto Festival
Quando: até dia 17 de julho
Onde: Shopping Iguatemi - Avenida Luiz Eduardo de Toledo Prado, 900, Vila do Golf
Entrada: gratuita
Horário: segunda a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos e feriados, das 14h às 20h
 
 
 
posts blogado Posts
Setembro de 2010 5  postagens    
Fevereiro de 2011 5  postagens    
Março de 2011 26  postagens    
Maio de 2011 19  postagens    
Julho de 2011 11  postagens    
Agosto de 2011 11  postagens    
Janeiro de 2012 19  postagens    
Março de 2012 6  postagens    
Junho de 2012 7  postagens    
Julho de 2012 8  postagens    
Setembro de 2012 1  postagens    
Outubro de 2012 1  postagens    
Novembro de 2012 8  postagens    
Março de 2013 6  postagens    
Maio de 2013 4  postagens    
Junho de 2013 16  postagens    
Setembro de 2013 1  postagens    
Outubro de 2013 1  postagens    
Novembro de 2013 6  postagens    
Dezembro de 2013 1  postagens    
Janeiro de 2014 4  postagens    
Fevereiro de 2014 1  postagens    
Março de 2014 30  postagens    
Abril de 2014 3  postagens    
Junho de 2014 9  postagens    
Agosto de 2014 1  postagens    
Setembro de 2014 1  postagens    
Novembro de 2014 1  postagens    
Dezembro de 2014 5  postagens    
Janeiro de 2015 7  postagens    
Fevereiro de 2015 36  postagens    
Março de 2015 25  postagens    
Abril de 2015 35  postagens    
Maio de 2015 51  postagens    
Junho de 2015 22  postagens    
Julho de 2015 9  postagens    
Todos os Posts
Categorias
Auguste Renoir
Caravaggio
Cemitérios
Cidades
Diego Velázquez
Leonardo da Vinci
Michelangelo Buonarroti
Notícias
Notícias da Arte
Pablo Picasso
Parques
Paul Cézanne
Prefeituras
Rafael Sanzio
Salvador Dalí
Sandro Botticelli
Vincent Van Gogh
 
Untitled Document